Pular para o conteúdo Vá para o rodapé

Contraf-CUT avança na organização do ramo financeiro

A Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) realizou um encontro com representantes de suas federações e vários sindicatos filiados, para uma nova fase na organização do ramo financeiro. A reunião aconteceu na sede da entidade, em São Paulo, na quinta-feira (25) e nesta sexta-feira (26/05). No evento, além do mapeamento dos segmentos que atuam no ramo, foi formalizado um plano de ação e instituído o Coletivo Nacional do Ramo Financeiro e Política Sindical.

Para a secretária de Organização do Ramo Financeiro e Política Sindical da Contraf-CUT, Magaly Fagundes, “a iniciativa é fundamental neste momento, pois a fragmentação das funções no sistema financeiro é grande e continua se aprofundando, e o movimento sindical precisa acompanhar essas mudanças para ampliar sua representatividade e assegurar que esses trabalhadores tenham garantidos seus direitos e alcancem novas conquistas”.

Estudo apresentado pela subseção da Contraf-CUT do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) mostra o quanto o trabalho no setor financeiro tem se alterado nos últimos anos. Em linhas gerais, enquanto a categoria bancária reduz e tem seu perfil modificado, outros segmentos crescem, porém com condições trabalhistas precárias, com remuneração cerca de 40% menor e jornada mais extensa.

Conceito mais amplo

Para o secretário-geral da Contraf-CUT, Gustavo Tabatinga, “a construção do ramo financeiro é fundamental para que os trabalhadores do setor que não são bancários também tenham representação”. Para o dirigente, “essa é uma prioridade, inclusive para o movimento sindical, pois enquanto o sistema financeiro se mantém, o número de bancários reduz, pela fragmentação das categorias, com trabalhadores em TI (Tecnologia da Informação), crédito corporativo, seguros, planos de saúde e tantos outros”.

Para a presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira, a importância da construção do ramo financeiro é decisiva no atual momento, em que ganham corpo os debates sobre a reforma sindical no Brasil. Como ressalta a dirigente, “estamos com um grupo de trabalho tripartite, discutindo alterações na legislação sindical, que buscam sindicatos representativos e fortes, com a valorização da negociação coletiva, mais amplas, como as da categoria bancária”.

Resultados

No encontro, foi definido um plano estratégico de ação para a construção do ramo financeiro e aprovado um planejamento de nível nacional, que uma contempla campanha de comunicação com foco nos trabalhadores não representados e a organização de cursos de formação sobre a questão.

Para o secretário de Formação da Contraf-CUT, Rafael Zanon, “no encontro foi apresentado um diagnóstico e definido um planejamento nacional para fortalecer a representação de todos os trabalhadores do ramo financeiro. Esse tema é prioritário para buscarmos reverter a pulverização arquitetada pelas empresas, no sentido de dividir e reduzir direitos dos trabalhadores do ramo financeiro.”

“Estamos nessa fase fundamental de mapeamento do ramo, e agora entramos num momento com iniciativas efetivas no sentido de construir o ramo”, resume Magaly Fagundes. “O objetivo é que todos os trabalhadores do ramo financeiro tenham representação sindical forte, que amplie os direitos e permita novas conquistas”, completa a secretária.

Segundo a secretária de Imprensa do Sindicato de Londrina, Danielle Ruza, que participou da reunião da Contraf-CUT, considerou positiva ideia de instituir o Coletivo Nacional do Ramo Financeiro e Política Sindical. “Para democratizar esse Coletivo as Federações da categoria em todo o país irão apontar nomes, possibilitando que a representatividade seja a mais ampla”, salienta.

Participantes do encontro se reúnem ao final dos trabalhos, na sede da Contraf-CUT, em São Paulo

Representantes de diversos estados particaparam da reunião de organização da Contraf-CUT

Participaram do encontro representantes dos Sindicatos dos Bancários de São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Londrina, Florianópolis, Brasília, Rio de Janeiro e Alagoas; da Fetec/PR, Fetrafi/MG, Fetrafi RJ/ES, Fetec/SP, Fetec/Centro-Norte, Fetrafi/RS, Fetrafi/NE e Federa/Rio.

Fonte: Contraf-CUT

Deixe um comentário

0/100

the Kick-ass Multipurpose WordPress Theme

© 2024 Kicker. All Rights Reserved.

Sign Up to Our Newsletter

Be the first to know the latest updates

[yikes-mailchimp form="1"]